REGULAMENTO INTERNO *

REGULAMENTO INTERNO DO REGIME
LA PERLA HOTEL **
CONDIÇÕES DE ADMISSÃO
1. Disposições gerais:
As pessoas que acessarem este estabelecimento hoteleiro serão obrigadas a cumprir este Regulamento, o que não viola a Lei 13/2011, de 23 de dezembro, sobre Turismo, Decreto-Lei 13/2020, de 18 de maio, pelo qual são estabelecidas medidas extraordinárias e urgentes relacionadas a estabelecimentos hoteleiros, coordenação de alertas, promoção de telematização, reativação do setor cultural e flexibilidade em várias áreas em face da situação causada pelo coronavírus (da gerência hoteleira) e outros regulamentos aplicáveis.
dois. Acesso, admissão e estadia no estabelecimento:
Este estabelecimento hoteleiro é para uso público e acesso gratuito, sem restrições além daquelas derivadas de disposições legais e destes regulamentos. A admissão e permanência de pessoas neste estabelecimento somente serão negadas pelos seguintes motivos:
para) Devido à falta de capacidade ou instalações de acomodação.
b) Por não atender aos requisitos de admissão estabelecidos no
este regulamento.
c) Por adotar comportamentos que possam causar perigo ou
incomodar outros usuários ou dificultar a
desenvolvimento normal da atividade.
Quando as circunstâncias indicadas acima ou pelas pessoas que incorrem em uma ou mais das restrições listadas acima, o pessoal responsável pelo estabelecimento pode exigir que o abandone, mediante pagamento, quando apropriado, das contas pendentes de provisão de serviços e consumo. Se necessário, será solicitada ajuda das forças de segurança, de acordo com o artigo 36 da Lei de Turismo e o artigo 25 do Decreto de Gestão Hoteleira.
É expressamente declarado que o acesso gratuito às instalações, serviços e acomodações deste estabelecimento hoteleiro não será negado ou restrito a quem desejar, por razões de sexo, deficiência, com ou sem cão-guia, religião, opinião ou qualquer outro outra circunstância pessoal ou social.
3) Documento de check-in e admissão:
A pessoa ou pessoas que desejam fazer uso das unidades de alojamento, das instalações comuns e, quando apropriado, dos serviços complementares detalhados neste Regulamento, devem apresentar seus documentos de identificação para fins de admissão e registro no registro de estabelecimento. Depois que a pessoa ou pessoas forem registradas, o estabelecimento formulará um documento de admissão que incluirá o nome, a categoria e o número de registro do estabelecimento, o número ou a identificação do alojamento atribuído, o número de pessoas que o ocuparão, as datas de entrada e saída e dieta que eles organizaram e, ao contratar diretamente, também o preço da acomodação. O referido documento de admissão, preenchido em cópia duplicada, deve ser assinado pelo interessado para formalizar sua admissão, uma vez informado da existência deste Regulamento e de seus direitos e obrigações. O original será entregue ao usuário e a cópia permanecerá na posse do estabelecimento.
Os serviços complementares oferecidos e fornecidos por este estabelecimento ou por outras pessoas ou entidades estão detalhados na recepção. Esses serviços complementares serão formalizados nos documentos correspondentes e serão liquidados de acordo com as condições acordadas no seu caso.
REGRAS DE COEXISTÊNCIA / OPERAÇÃO
Quatro Direitos e obrigações dos usuários
Os usuários podem acessar livremente o estabelecimento e permanecer nele com as limitações contidas neste regulamento.
Os usuários têm o direito de:
• Para receber informações verdadeiras e completas e antes de contratar os serviços oferecidos.
• Que, nesses serviços, é tomado cuidado com sua segurança, privacidade e tranquilidade,
• Para corresponder às condições acordadas,
• Receber uma fatura com as formalidades regulatórias, pelos serviços contratados diretamente e
• Que, se eles quiserem fazer uma reclamação, receberão os formulários de reclamação.
Os usuários são obrigados a observar as regras contidas neste regulamento, que eles aceitam expressamente ao assinar o documento de admissão, e as emitidas pela Diretoria sobre segurança, coexistência e higiene para o uso adequado do estabelecimento.
Os usuários devem comprovar sua condição, mostrando o documento de admissão quando necessário, respeitar as instalações e equipamentos deste estabelecimento e pagar o valor dos serviços contratados no momento da apresentação da fatura ou de acordo com as condições acordadas de acordo com o artigo. 21 do Decreto-Lei. A apresentação de qualquer reclamação não isenta a obrigação de pagar pelos serviços contratados.
5) Direitos e obrigações da empresa hoteleira
Este estabelecimento pode procurar a ajuda dos agentes da autoridade para expulsar de suas dependências os usuários que não cumprem com este regulamento, que pretendam acessar ou permanecer neles para outros fins que não o uso normal do serviço de hotel e também, quando apropriado, pessoas que não estão registradas como usuários, participantes de banquetes, convenções etc.
As unidades de alojamento só podem ser acessadas por pessoas registradas para esse fim, conforme estabelecido no Artigo 2.e do Decreto-Lei.
Este estabelecimento pode solicitar uma garantia de pagamento pelos serviços contratados, de acordo com os regulamentos aplicáveis e cobrar a conta correspondente na conta do usuário por danos ou mau funcionamento que ocorram nas instalações, móveis e elementos do estabelecimento devido a negligência ou erro uso daqueles.
As horas dos diferentes serviços de consumo, uso e aproveitamento também podem variar ao longo das estações do ano, dependendo da sazonalidade, reservando-se o direito de não admitir usuários fora desse horário ou quando as capacidades máximas autorizadas forem excedidas ou quando solicitação dentro dos limites da admissão, prejudicando assim o horário de trabalho desses serviços. Os serviços mencionados, os detalhes do horário programado, os preços e as condições de uso estão expostos nos acessos e, em resumo, nos diretórios existentes nas acomodações, que também contêm informações sobre o plano de evacuação. casos de emergência e serviços gratuitos.
Este estabelecimento tem a obrigação de:
* dê a seus preços a publicidade máxima na recepção e os disponibilize aos usuários.
* informar esses usuários, antes da contratação, das condições para a prestação dos serviços e seus preços, além de proporcionar a eles a mais alta qualidade, de acordo com sua categoria e nos termos contratados.
* cuide para que os usuários recebam um tratamento correto, prestando atenção e participando e mantendo as instalações e serviços em boas condições.
* ter formulários de solicitação e relatar sua existência.
* fornecer aos usuários que não possam comparecer, devido a excesso de reservas, a acomodação em um estabelecimento na mesma área, do mesmo grupo, modalidade, quando apropriado, especialidade e categoria idêntica ou superior. As despesas ou sobretaxas decorrentes dessa causa serão suportadas por este estabelecimento, que, pelo contrário, retornará ao usuário as diferenças que ocorrem a seu favor.

6. Períodos de ocupação das unidades de alojamento:
Os usuários têm o direito de ocupar a unidade de acomodação das 12 horas do primeiro dia do período contratado até as 12 horas do dia indicado como a data da partida. No entanto, nas datas de ocupação máxima, o fornecimento da unidade de alojamento pode ser atrasado em duas horas. Por acordo entre as partes, pode ser acordado um regime de ocupação diferente, que, se aplicável, deve estar refletido no documento de admissão. A extensão da ocupação da unidade de alojamento por um período maior do que o contratado fará com que o imposto pague mais um dia e, caso o usuário queira ficar mais tempo do que o especificado no documento de admissão, sempre deve haver acordo entre as partes.
7) Preços, faturas e informações
O estabelecimento hoteleiro não é responsável pelo preço, nem pelo uso de suprimentos, equipamentos e outros serviços prestados fora do estabelecimento hoteleiro, nem pelo comportamento de pessoas que não sejam do hotel, a menos que expressamente declarado em suas condições e tarifas.
As tarifas com os preços e condições dos diferentes tipos de acomodação, serviços de restaurante, lavanderia e serviços complementares próprios e de pessoas ou entidades externas estão detalhadas na recepção disponível para os usuários que os solicitarem.
O faturamento das taxas de acomodação será calculado por dias e de acordo com o número de dormidas. A cobrança mínima para acomodação será o valor de uma estada ou dia durante a noite, entendido como concluído às 12 horas do dia seguinte à data de entrada.
O estabelecimento pode exigir a seus usuários, a qualquer momento e antes da apresentação da fatura e de seus comprovantes, o pagamento dos serviços prestados fora do alojamento, mesmo que o pagamento tenha sido previamente acordado.
As pessoas físicas ou jurídicas que, por si só, prestam serviços complementares nas dependências deste estabelecimento hoteleiro, são responsáveis por seus funcionários e seu comportamento, operação, manutenção, regime de preços e por tudo o que é inerente a seus próprios serviços. Em cada uma dessas dependências, o proprietário da mesma será claramente identificado.
Nas unidades de alojamento, há também um diretório com informações sobre os preços dos serviços mais comuns.
As faturas serão fornecidas apenas para acomodações e serviços contratados diretamente pelos usuários.
USAR E APRECIAR INSTALAÇÕES E SERVIÇOS
8. Recepção
Na recepção, serão realizados os procedimentos necessários para admitir as pessoas no estabelecimento e serão mantidas chaves ou cartões para acessar o alojamento. O Diretor, juntamente com a equipe de recepção e, quando apropriado, o concierge, são os gerentes ou centros de relacionamento com os usuários em todos os assuntos internos do estabelecimento hoteleiro e para informações e conselhos.
9. Caixas de segurança
Em cada acomodação, há um cofre instalado para uso de quem desejar. Os diretórios existentes nessas acomodações indicam esse serviço e suas condições de aceitação e uso. O estabelecimento não é responsável pela perda de objetos ou valores que não são depositados nessas caixas. De qualquer forma, o hotel só será responsável por roubo ou perda de objetos encontrados nos cofres das unidades de alojamento.
10. Lavagem a seco
Em cada acomodação, você encontrará informações sobre as condições desses serviços, seus preços, prazos de entrega e devolução de roupas. O estabelecimento não é responsável por roupas que, devido às suas condições ou composições de uso, encolhem, descoloram ou se deteriorem.
11. Serviço de café da manhã cedo
Se um cliente sair antes do horário de funcionamento do restaurante, ele poderá saborear um café da manhã frio. Para acessar esse café da manhã frio, você deve notificar a recepção no dia anterior à data em que esse serviço deve ser prestado.
12. Vários
O uso de elevadores não é permitido para menores sem o acompanhamento de um adulto responsável.
O acesso ao estabelecimento de animais é permitido, não sendo permitido o acesso ao restaurante e eles devem sempre ser acompanhados.
Não é permitido passear pelos espaços e áreas comuns sem sapatos e com o tronco nu.
A partir das 22 horas, é obrigatório manter o devido silêncio nos corredores e acomodações, para não incomodar os demais usuários.
Meia pensão consiste em café da manhã e jantar.
As letras ou tarifas dos bares e restaurantes identificam os produtos que correspondem ao café da manhã e jantar. Aqueles não identificados como tal serão cobrados pelos preços das tarifas. Serviços de lavanderia e telefone serão cobrados a preços de tarifa.
Não é permitido pendurar roupas nas grades ou janelas do terraço.
É expressamente proibido o uso, consumo ou posse de produtos e substâncias perigosas em todas as áreas e dependências deste estabelecimento, em aplicação da legislação vigente em saúde pública.
Para garantir a segurança, privacidade e tranquilidade dos usuários, este estabelecimento hoteleiro dispõe de dispositivos técnicos de vigilância eletrônica, com elementos permanentes de registro, em áreas gerais ou comuns.
Cozinhar nos quartos é estritamente proibida, assim como o uso de aparelhos elétricos como aquecedores de água sem autorização da gerência.
MENORES: Não serão aceitas reservas de quartos ou estadias de menores desacompanhados por um adulto responsável por eles. O hotel pode exigir a autorização por escrito da pessoa responsável pelo menor, juntamente com uma fotocópia do seu DNI, por qualquer meio que comprove a conformidade com a estadia do menor no hotel (fax, correio, etc.).
Não é permitido fumar em nenhuma das instalações do hotel.
REGULAMENTO DO REGIME INTERNO
Artigo 25. Regimento interno.
1. Os estabelecimentos hoteleiros devem ter regulamentos internos que estabeleçam regras obrigatórias para os usuários durante a estadia, sem infringir o disposto na Lei 13/2011, de 23 de dezembro, nem este capítulo.
2. O regulamento interno estará sempre disponível para os usuários e será exposto, pelo menos em espanhol e inglês, em um local visível e facilmente acessível do estabelecimento. Este regulamento deve ser publicado no site do estabelecimento, se houver.
3. As empresas operadoras dos estabelecimentos hoteleiros podem procurar a assistência das Forças e Órgãos de Segurança para expulsar deles aqueles que não cumprem as regras do regime interno, não cumprem as regras usuais de convivência social ou procuram acessar ou permanecer nelas com um objetivo que não seja o uso normal do serviço, nos termos do artigo 36.4 da Lei 13/2011, de 23 de dezembro.

4. Os regulamentos internos especificarão, no mínimo:
a) As condições de admissão.
b) As regras de coexistência e operação.
c) Informações sobre a organização administrativa e a pessoa responsável a quem, quando apropriado, devem entrar em contato em questões relacionadas ao funcionamento do estabelecimento.
d) Lista de serviços complementares prestados por empresas que não sejam a entidade operacional e identificação das empresas responsáveis por sua prestação.
e) Informações aos usuários sobre as instalações ou serviços que representam um risco e as medidas de segurança adotadas a esse respeito
f) Admissão de animais e condições para essa admissão.
g) Em geral, todas as circunstâncias que permitem e favorecem o desenvolvimento normal do desfrute das instalações, equipamentos e serviços.